Tap Web Cíntia Martin

Um mundo de SAPATEADO

Pesquisa 1

O tema deste debate é:

“Você acha que um professor deve ensinar tudo que sabe ?”

(“Do you think a teacher must teach all the things he/she knows ?”)

Envie sua opinião ou comentário para a TapWeb Cíntia Martin. Por enquanto, preencha o formulário ainda no site antigo, clicando aqui.

As mensagens recebidas serão computadas e colocadas o mais breve possível aqui nesta página. Em geral, mensagens postadas até as 16h30min entram no mesmo dia.

….

Respostas até 08h30min do dia 16.06.2009:

sapcin1 sapcin2

Data = 01.06.2009
Nome = Andre Zorzetto Lara
Cidade = Veneza, Itália
Resposta = Sim

O sapateado è uma das linguagem mais completa de forma de arte
è teatro è musica è coreografia è comunicaçao,o unico problema è que exige un publico muito sensivel e pensante; Pecado que no mundo de hoje esse tipo de arte no encontra mais valor … Seria necessario ouvir o chamado da alma, coisa que os escravos negros souberam fazer bem quando se comunicavam com esses passos ritmados.

sapcin1 sapcin2

Data = 25.05.2009
Nome = Renata Nascimento
Cidade = Lucena, PB
Resposta = Não

do jeito que os professores tem dificudades de aprender os alunos devem passar por isso também não podem ter tudo fácil!

sapcin1 sapcin2

Data = 10.11.2008
Nome = Isabela
Cidade = Goiania, GO
Resposta = Sim

Mensagem = Deve pq amanha esses passos que ela ensinar vai sera util para elas

sapcin1 sapcin2

Data = 27.10.2008
Nome = Cida Moraes
Cidade = Rio de Janeiro
Resposta = Sim

Mensagem = Acredito que o talento é individual e o brilho também.
Oprofissional deve ensinar sim ! mas cada aluno vai perceber de uma maneira e o sucesso de cada um será sempre lembrado pelo professor que deu a ele o poder de desemvolver o seu potencial. O sol brilha pra todos mas só alguns pecebem isso.

sapcin1 sapcin2

Data = 09.03.2008
Nome = Gabriela
Cidade = Pres. Prudente, SP
Resposta = Sim

Mensagem = Sim, porque os alunos sao os nossos espelhos do amanhã.

sapcin1 sapcin2

Data = 06.05.2007
Nome = Mariana A. Barcelos
Cidade = Campos dos Goytacazes, RJ
Resposts = Sim

Mensagem = Um bom professor dever passar para seus alunos o melhor,pois esse aluno será a propaganda dele e no futuro podera sero seu nome. Beijos…. Estou no 1º ano na Academia Madeleine Rosay Aluna de Juliana Falcão.

sapcin1 sapcin2

Data = 20.10.2006
Nome = Antonia Marques
Cidade = São Paulo, SP
Resposta = Sim

Mensagem = Quando alguém abraça a carreira de ensinar, deve ensinar tudo o q aprendeu. Senão a magia da profissão perde totalmente o sentido. Quem guarda o q sabe p/ si, não é educador.

sapcin1 sapcin2

Data = 30.05.2005
Nome = Shirley Soares
Cidade = Imperatriz, MA
Resposta = Não

Mensagem = Deve estimular o aluno a romper seus próprios horizontes. O aluno deve interagir com o professor na busca do conhecimento, levantando questionamentos, gerando respostas tento sua própria opinião.

sapcin1 sapcin2

Data = 05.01.2004
Nome = Lais Eduarda
Cidade = Londrina, PR
Resposta = Sim

Mensagem = Acho que deve ! E se ainda não souber tudo procurar pesquisar para melhor aprendizagem de seus alunos !

sapcin1 sapcin2

Data = 18.08.2003
Nome = Ana Helena
Cidade = Curitiba, PR
Resposta = Sim

Mensagem = Ele deve ensinar tudo que sabe, então por que ele aprendeu ?

sapcin1 sapcin2

Data = 08.08.2003
Nome = Ednaldo Eiras de Souza (Rio de Janeiro, RJ)
Resposta = Sim

Mensagem = Ensine tudo prá todos!!!!!!!!!!! A semente frutifica melhor no solo mais adequado mas, todos vão captar ainda que inconscientemente a validade de ser generoso, como a vida é conosco!!!!!!!!! Abraços!!!!!EDNALDO

sapcin1 sapcin2

Data = 24.07.2003
Nome = Odila
Cidade = Rio de Janeiro
Resposta = Sim

Mensagem = Parabéns por ensinar um pouco do que sabe mesmo que expondo na internet, foi com você que aprendi como escrever passos para melhor pronunciá-los. A maioria dos professores só pensam em te fazer de macaco de imitação. Uma vez, pedi que certa professora me explicasse como se escreve, pronuncia passos e que me contasse um pouco da história dessa dança e ela simplesmente ignora e recusa a passar isto aos alunos, o que para mim é de extrema importância. Amo o sapateado e queria saber todas as informações possíveis sobre no que estava envolvida.

sapcin1 sapcin2

Data = 20.11.2002
Nome = Milena Nogueira Bicudo
Cidade = Campinas, SP
Resposta = ?

Mensagem = Na minha opinião, o professor tem que ensinar primeiro o “básico” do sapateado. Por isso, uma academia de sapateado é dividida em turmas, das mais fracas às mais fortes, ou seja, conforme o professor acha que tem que ir ensinando, as coisas serão aprendidas pelos alunos. E, com certeza, a cada dia que passa um professor vai “aprendendo mais”…

sapcin1 sapcin2

Data = 06.05.2002
Nome = Edgar Takano
Cidade = São Paulo, SP
Resposta = Sim

Mensagem = Não apenas na Dança, mas em todas as áreas em que há a relação Professor-Aluno, o objetivo é o crescimento de ambas as partes. O Professor deve facilitar o aprendizado do aluno, bem como desenvolvê-lo para que no futuro, este caminhe com seus próprios passos. Não são poucos os exemplos em que o professor também aprende com o aluno. Mas o que eu gostaria de deixar explícito aqui é minha insatisfação, dentro do meu papel de aluno, com muitos professores de dança que eu tive até hoje. Por traz de “justificativas” muito pouco convincentes, professores na minha opinião incapacitados, costumam e com muita frequência a esconder boa parte de seus conhecimentos mais avançados, bem como diminuir e a limitar a velocidade de aprendizado de seus alunos. Provavlemente é o receio humano, do medo que o mestre possa ser superado pelo seu discípulo. Infelizmente, estes individuos fazem o oposto do que é esperado, não contribuem com a arte, e definitivamente, deveriam ser extinguidos devido a falta de visão do coletivo.

sapcin1 sapcin2

Data = 02.04.2000
Nome = Luciana Cristhina theodoro Correa
Cidade = Campinas, SP
Resposta = Sim

Mensagem = Sim, é muito importante um professor ensinar tudo que sabe… pois é assim que funciona… vai passando de geração para geração o estilo de cada passo… cada pessoa vai ter… e isso ninguém vai tirar da pesssoa… por isso acho que um professor deveria sim ensinar tudo o que sabe, pois é assim que a alma de qualuqer dança prossegue! Afinal é o professor… e ele com certeza terá muito orgulho de ver seu alunos conquistando cada passo que ele ensinou!

Smacks! :o)
Luciana Cristhina Theodoro Correa

sapcin1 sapcin2

Data = 14.12.1999
Nome = Ana Carolina Intrieri Locatelli
Cidade = São José dos Campos, SP
Resposta = Sim

Mensagem = Sim, para que os alunos possam ser tão bons quanto ele e um dia venham a se tornam grandes ensinadores também.

sapcin1 sapcin2

Data = 22.11.1999
Nome = Vanessa Senna
Cidade = São Paulo, SP

Mensagem = O mérito do aprendizado de um aluno será do professor. Um bom professor ensina tudo o que sabe e está sempre se reciclando para ter mais o que ensinar…

sapcin1 sapcin2

Data = 09.10.1999
Nome = Bia Mattar
Cidade = Florianópolis, SC
Resposta = Sim

Mensagem = O conhecimento do professor nem sempre significa tudo para o aluno, o que vale mais é a criatividade com que o professor coloca cada passo, cada expressão e cada combinação.

sapcin1 sapcin2

Data = 06.10.1999
Nome = Cristina di Cianni
Cidade = São Paulo, SP
Resposta = Sim

sapcin1 sapcin2

Data = 01.10.1999
Nome = Juliana de Escobar Garcia
Cidade = Ribeirão Preto, SP
Resposta = Sim

Mensagem = Sem dúvida nenhuma o papel do professor é ensinar para o aluno não só tudo o que ele sabe mas também tudo o que o aluno deseja saber e às vezes não tem condições de ir buscar sozinho. O papel do professor é este, e lembrando que por mais que saibamos muita coisa, há muito para se aprender, renovando assim tanto os professores como os alunos. Os cursos, a Jam, os improvisos em aula e até os filmes, nos ensinam muito. E eu confesso como professora que já “roubei” muitos passos das minhas alunas que são feitos nos improvisos em aula. Resumindo: se o professor não ensina tudo o que sabe para que o aluno se incentive e queira cada vez mais buscar conhecimento, este fica estabilizado, desatualizado e o sentimento pela dança pode diminuir ou até desaparecer, o que com certeza nós sapateadores não queremos.
Parabéns, Cíntia, e obrigada pelo espaço cedido.

sapcin1 sapcin2

Data = 01.10.1999
Nome = Talitha De Moura Rossigalli
Cidade = Uberaba, MG
Resposta = Sim

Mensagem = Bem, para começar,o nome professor já diz tudo: “passar o que se sabe”! Ele faz sua parte de ensinar, e cada um de aprender como queira! É claro que o professor sempre tem suas técnicas maravilhosas, e às vezes não queira passar para o aluno! Mas cada um dança o que sabe e, para ser bom, basta ter dedicação e responsabilidade!
O professor é tudo! Ele é mestre, sempre sabe mais e mais! Entao o que custa passar um pouquinho de sua sabedoria!?!
Nao é pelo fato dele nos ensinar o que sabe, que vamos ser melhores do que eles! Isso nunca!!! Professor é professor, aluno é aluno, um dia esse aluno se torna professor e passa o que aprendeu com o anterior! E assim vai! Isso é a lei do professor, passar o que se sabe, e o aluno aprender o que o professor passou!

sapcin1 sapcin2

Data = 30.09.1999
Nome = Andrea Kopp
Cidade = Curitiba, PR
Resposta = Sim

Mensagem = Com certeza, um professor que esconde macetes ou dicas importantes que possam facilitar e melhorar a performance, com certeza não merece muitos créditos… quando aprendo novos passos, sequências, macetes, etc, não vejo a hora de ir correndo ensinar tudo para minhas alunas, afinal de contas as alunas são a nossa maior representação!
Parabéns pela otima idéia deste debate. Abraços,
Andréa Kopp.

sapcin1 sapcin2

Data = 30.09.1999
Nome = Vannina Porto
Cidade = Recife, PE
Resposta = Sim

Mensagem = Com certeza, pois ensinando ele estará mostrando tudo o que ele aprendeu.

sapcin1 sapcin2

Data = 29.09.1999
Nome = Fabíola Chagas
Cidade = Porto União – SC
Resposta = Sim

Mensagem = Quando se escolhe ser professor, tanto de dança quanto de qualquer outra área, deve-se ter o senso de imaginar que se corre o risco de encontrar pessoas que podem se destacar muito mais que ele. O papel do professor é ensinar. Cabe ao aluno onde chegar, e o professor deve auxiliá-lo com muito orgulho.

sapcin1 sapcin2

Data = 28.09.1999
Nome = Valéria Pinheiro
Cidade = Rio de Janeiro – RJ
Resposta = Sim

Mensagem = Sim, pois acho que assim fica inesgotável a troca entre aluno e professor, ensinar é também aprender, e assim se estabelece o feed-back. Sou professora de sapateado brasileiro há 17 anos, e estou sempre disposta a ensinar tudo que sei, experimento ou mesmo invento, acho que nós professores somos os responsáveis por essa memória que o sapateado brasileiro vem estabelecendo, então vamos construí-la na íntegra!

Adorei a tecla nova, Cíntia, parabéns por essa iniciativa, só você e o Marcelo pra pensar cada vez mais em nos unir. Beijo no seu coração,
Val.

sapcin1 sapcin2

Data = 28.09.1999
Nome = Nivea Valle Del Maestro
Cidade = Rio de Janeiro / RJ
Resposta = Sim

Mensagem = Um professor sempre deve dar tudo de si numa aula, ensinando, sim, tudo aquilo o que lhe foi adquirido em cursos e experiências anteriores. Mas o que vai diferenciar um dançarino de outro, não é quem sabe mais ou menos, ou quem faz o passo mais difícil ou não; mas sim o ESTILO de cada um.

sapcin1 sapcin2

Data = 28.09.1999
Nome = Adriane Freitas Moreira
Cidade = Viamão, RS
Resposta = Sim

Mensagem = Porque o professor tem que passar para o aluno tudo que ele(a) aprendeu. Assim o aluno e o professor(a) vao aprender juntos, dizendo o que poderia ser ou nao. Muitas das vezes o professor se torna aluno de seus proprios alunos, a cada dia que passa. Acho que vale a pena.

sapcin1 sapcin2

Data = 28.09.1999
Nome = Marcelo Batalha
Cidade = Rio de Janeiro – RJ
Resposta = Sim

Mensagem = Mesmo sendo apenas um leigo, acho que posso dar também a minha opinião, que pode ser dividida em 4 visões : como leigo, como professor (de outras atividades, não de sapateado), como aluno iniciante de sapateado e como aquele que assiste diversas aulas e cursos dos mais diversos mestres.

Como leigo, posso responder sem medo, pois acho que vale para qualquer área de atividade. A palavra chave de um grande mestre é “compartilhar”, é ser uma (multi)mídia, mais do que uma “receita de bolo”. Cada profissional, seja ele um professor, um gerente de projeto, um maestro, um instrutor, deve estar sempre atento às necessidades de cada aluno, de cada aprendiz. O professor deve se preparar para que, durante a aula, possa se preocupar menos com aquilo que está dentro de si e mais com o que ele troca com os alunos. A eles, o mestre deve fazer muito mais que seguir um plano de aula : deve ir fornecendo os subsídios conforme sua sensibilidade vai percebendo que os aprendizes podem captar, e instigá-los a pesquisar e praticar mais e mais, a fim de que o aprendizado se fixe e que o aluno possa descobrir, a partir da base que recebe, novos caminhos, novas vontades, novos necessidades.

Como professor, já dei aulas de inglês e de informática, e sempre percebi que o aluno tem uma veia aberta de aprendizado, sempre, e que esse canal nem sempre é aproveitado pelo professor. Todo aluno pode aprender, independente de seu “QI”: cabe ao professor descobrir como atingir esse aluno da melhor forma. O professor deve ter uma visão global da turma sem esquecer da atenção individual a cada aluno, pois as necessidades são distintas, a maneira de captar os ensinamentos é singular e a bagagem de cada aluno é diferente. O professor, por sua vez, deve ser uma porta sempre aberta para receber dos alunos suas dúvidas, suas necessidades. É difícil, confesso, numa turma de 20, 30 alunos, mas o professor atento sabe que a aula não se resume os minutos dentro da sala de aula. O professor também não deve ter medo de dizer, mesmo que em outras palavras, “não sei, vou procurar saber, vou pesquisar”, pois afinal ninguém é o “rei” do conhecimento (embora alguns, erradamente, achem que sim). E deve se deixar sempre aberto a aprender também, pois ensinar é uma relação bilateral, sempre.

Como aluno iniciante de sapateado, não posso falar muito, pois sou aluno da Cíntia, para não parecer rasgação de seda. Só posso dizer que compartilho a opinião de muitos de seus alunos de que suas aulas deveriam ter 3, 4 horas de duração e todo dia, pois o cabedal de conhecimento que ela tem e se dispõe a passar aos alunos é enorme, não cabe em uma hora de aula. Tentando falar isentamente, é impressionante e louvável a atenção que ela dá a cada “pedaço de passo”, indo até literalmente segurar no pé do aluno para fazê-lo entender o movimento. A busca do ritmo, o apuro no deslocamento de peso, a atenção na velocidade e na intenção do movimento, o trabalho do corpo, a postura, a expressão e a alegria por estar se fazendo algo que se gosta. E não é só ela, claro. Recebo, por causa do Divulgando, o afeto de muitos alunos por seus professores e de muitos professores pelo sucesso de seus alunos, e essa troca é essencial. Não basta apenas bater o pé e repetir até cansar, é preciso a troca de energia e sentimento também.

Finalmente, como aquele que gosta de assistir as aulas dos mestres que vêm ao Brasil ensinar aos sapateadores brasileiros (ou, vendo “na fonte”, como nesta viagem a Nova York em julho)… Me impressiona ver uma Brenda Bufalino, um Jimmy Slyde, uma Barbara Duffy, uma Margaret Morrison, cada qual à sua maneira, cada qual com sua didática própria, praticamente “derramando” tanto e tanto conhecimento e talento sobre seus alunos, sem medo de com isso estarem “perdendo” algo, de estarem “se diminuindo”. Ver Buster Brown criar com os alunos novas combinações, se emocionar com a simplicidade e com aquilo que chamo de “disponibilidade” de Jimmy Slyde, ensinando até nos corredores… Ouvir Brenda Bufalino dizendo que pratica sempre, que busca sempre aprender e criar mais e mais… e de repente parece tão desnecessário pelo talento que ela tem, mas não, é essa prática eterna e essa disponibilidade em aprender que a engrandece ainda mais.

Não se pode ter medo de ensinar, nem de aprender, nem de se reciclar. Vejo por aí gente tão talentosa, mas cheios de medo de se reciclar, de entrar numa aula, só porque é professor, é “mestre”: acabam se especializando em si mesmos, em seu próprio e muitas vezes belo mas limitado mundinho particular, não se pode ser sempre o mesmo, fazendo as mesmas coisas sempre. Pelo menos é o que eu acho.

Flávio Salles, em sua entrevista em janeiro deste ano, foi direto ao ponto: “Espero continuar a aprender todos os dias e continuar com as portas abertas para continuar aprendendo: quando eu parar de aprender, eu estou pronto para morrer. Que eu conserve, então, um grau bastante grande de humildade para saber que eu nunca sei tudo – e eu estou longe de saber tudo.”

É preciso continuar a aprender, e ensinar o que se sabe os que querem aprender a fim de criar novos e bons profissionais de sapateado, uma nova geração que possa continuar aquilo pelo qual tanto se luta, senão tudo se perderá. É como na vida, gente: estar sempre aberto ao novo e compartilhar o que se tem; não se perde nada com isso, só se ganha. Por mais que a frase esteja batida : a vida é um eterno aprendizado.

E chega, que eu falei pra caramba (e essa é a minha opinião, ninguém precisa concordar com ela) ! Um abração a todos,
Marcelo Batalha

sapcin1 sapcin2

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: